Início

 > Onde encontrar os materiais do Metódo Fonomímico

Ilustração do conteúdo
  • Onde encontrar os materiais do Metódo Fonomímico mais
  • PARQUE DOS FONEMAS - Iniciação à Leitura e Escrita mais
  • Prefácio de José Carlos Ferreira - Neurologista pediátrico, CHLO mais
  • CARTÕES FONOMÍMICOS E CD COM AS CANTILENAS DO ABECEDÁRIOISBN: 972-8905-10-6 mais
  • Prefácio de Arlette Verhaeghe, Professora Associada da FPCE - UL mais
  • Quais os seus objectivos? mais
  • A quem se destinam?  mais
  • Comentário de PEDRO CABRAL - Neurologista pediátrico, CHLO mais
  • ABECEDÁRIO E SILABÁRIO - ISBN: 972-8905-10-6 mais
  • Quais os seus objectivos? mais
  • A quem se destinam?  mais
  • LEITURA E CALIORTOGRAFIA 1 - ISBN: 978-972-9805-11-8 mais
  • A quem se destinam?  mais
  • Prefácio de José Morais - Professor da Université Libré de Bruxelles (ULB) mais
  • LEITURA E CALIORTOGRAFIA 2 - ISBN: 978-972-8905-12-5 mais
  • Prefácio de José Carlos Ferreira, Neurologista Pediátrico , CHLO mais
  • LEITURA E CALIORTOGRAFIA 3 - ISBN: 978-972-9805-13-2 mais
  • Quais os seus objectivos? mais
  • Prefácio de Maria de São Luís Fonseca e Castro - Professora Associada da FPce - UP mais
  • CADERNO DE CALIORTOGRAFIA E VOCABULÁRIO CACOGRÁFICO - ISBN: 978-972-9805-16-3 mais
  • Quais os seus objectivos? mais
 

Onde encontrar os materiais do Metódo Fonomímico



EDITORA DISTEMA
A partir de dia 1 de Março de 2014 estaremos em:
Rua Cidade de Rabat 54A
Tel: 21 714 70 49/50
Fax: 21 714 70 51
email: distema@netcabo.pt


Nas lojas da FNAC





PARQUE DOS FONEMAS - Iniciação à Leitura e Escrita


Parque Dos Fonemas

 
É um livro de iniciação à leitura e escrita, que desenvolve as competências fonológicas, que ensina explicitamente as relações entre os fonemas da linguagem oral e as letras do alfabeto e a operação de fusão fonémica.
Utiliza uma metodologia multissensorial - a aprendizagem é feita utilizando simultaneamente as diversas vias de acesso ao cérebro: auditiva, visual, cinestésica/motora e táctil - que motiva as crianças e incentiva as crianças para esta aprendizagem.
Foi elaborado com base nos resultados da investigação científica e no estudo e experiência profissional da autora, professora e psicóloga educacional.
As letras vogais são apresentadas por cinco amigos alegres, curiosos e brincalhões que foram visitar o “Parque dos Fonemas” a Inês, o Ulisses, a Olga, a Aida e o Egas e que descobriram que os seus nomes começavam com os mesmos sons dos nomes de alguns animais Iguana, Urso, Orca e Égua.
As letras consoantes são apresentadas por animais. Cada Animal-Fonema está associado ao som da letra inicial, ao grafema correspondente, a uma História-Cantilena e a um gesto.
Através destas personagens as crianças iniciam a aprendizagem da leitura e da escrita realizando actividades lúdicas, atractivas e divertidas: observam as imagens de cada “Animal-Fonema”, ouvem e cantam as suas “Histórias-Cantilenas” e mimam os respectivos gestos. Descobrem com prazer e entusiasmo a relação entre os sons da linguagem oral e as letras do alfabeto e, de degrau em degrau, vão progredindo nas competências da leitura e da escrita.

Quais os seus objectivos?

 

O Parque dos Fonemas é um livro que ensina a sério… brincando…
Foi elaborado na sequência e em complementaridade com os Cartões Fonomímicos e tem como objectivos:
• Consolidar e automatizar os conteúdos ensinados nos Cartões Fonomímicos e Cantilenas do Abecedário;
• Desenvolver a Consciência Fonológica - identificar os fonemas iniciais dos nomes das diferentes personagens, incentivar a realização de diversos jogos de identificação, discriminação, adição, omissão, substituição, aliteração e rima com os fonemas e sílabas aprendidas;
• Ensinar o Princípio Alfabético - ensinar o nome e os sons das letras e as suas diferentes representações gráficas, ensinar e treinar até à automatização as correspondências fonema Û grafema;
• Identificar no Abecedário Ilustrado cada letras do alfabeto, dizer o nome e o som;
• Ajudar os pais e educadores a ensinar as crianças a ler e escrever utilizando uma metodologia multissensorial, que motiva incentiva e facilita esta difícil aprendizagem;
 Ensinar a ler conjuntamente dois fonemas, ensinar a realizar a operação mental de Fusão Fonémica e treinar até conseguir a sua automatização.
 Ensinar a ler em sequência várias sílabas, a realizar as Fusões Silábicas Sequenciais competência necessária à leitura das palavras e textos apresentados nos Livros de Leitura e Caliortografia 1, 2 e 3.

A quem se destina?

 
Destinam-se a todas as crianças em idade pré-escolar, com e sem dificuldades fonológicas, que estão a iniciar a aprendizagem da leitura e da escrita, estimulando e optimizando estas aprendizagens. Às crianças e jovens que revelam dificuldades nesta aprendizagem e que necessitam de uma reeducação especializada.
Podem ser usados individualmente, ou em grupo, no jardim-de-infância, na sala de aula, em casa e nas sessões de apoio educativo como apoio e reforço das aprendizagens escolares.
• Em casa e no jardim-de-infância como actividade lúdica e de aprendizagem. São materiais educativos que optimizam o desenvolvimento da linguagem, da consciência fonológica e fonémica, do vocabulário, da memória auditiva, visual e cinestésica, do ritmo musical, do conhecimento do esquema corporal, da orientação espacial e da coordenação visuomotora.
• Nas aulas do 1º ciclo de escolaridade para as crianças sem dificuldades, são materiais que estimulam e facilitam a aprendizagem da leitura e da escrita.
• Nas aulas do 1º ciclo de escolaridade para as crianças com dificuldades fonológicas são materiais apelativos que possibilitam a realização de uma intervenção reeducativa multissensorial e sistemática, motivadora e gratificante que conduz a uma evolução rápida e quantificável das competências fonológicas, da leitura e da escrita.
 As crianças do 1º ciclo de escolaridade devem utiliza-lo paralela e interactivamente com os Cartões Fonomímicos, os Livros de Leitura e Caliortografia 1, 2 e 3 e o Caderno de Caliortografia e Vocabulário Cacográfico recorrendo a um, ou a outro, em função das competências que necessitam de ser adquiridas ou reforçadas.



Prefácio de José Carlos Ferreira - Neurologista pediátrico, CHLO


As crianças e jovens com dislexia estão habituados a dificuldades. Quase sempre experimentam o insucesso académico, pelo menos no início da escolaridade, quando a aprendizagem da leitura e escrita parece ser a tarefa mais importante da vida e se vêem a defraudar as expectativas dos professores, as dos pais e sobretudo as suas próprias.
É com perplexidade que tomam consciência da diferença em relação a colegas com o mesmo, ou menor, nível cognitivo.
...A escrita é uma criação muito recente na escala evolutiva e o cérebro humano tem de encontrar na sua estrutura, com 200 milénios, recursos para desempenhar uma tarefa que lhe não é inata, nem natural.
Numa pequena percentagem da população esses recursos não se desenvolvem com eficácia e o processo da leitura acaba por mobilizar áreas e circuitos cerebrais mais dispersos e inoperantes.
A estratégia adequada para ajudar estas pessoas a conseguir um desenvolvimento congruente com as suas capacidades inclui duas vertentes:
A primeira é minimizar o impacto que a inabilidade para ler e escrever tem nas outras áreas da aprendizagem...
A segunda vertente é o acompanhamento destas crianças. É um trabalho cheio de barreiras, incómodo e penoso.
... Muitas vezes apontam-se falsos atalhos e ilusórias soluções fáceis, quase risíveis se não fosse pelos prejuízos que causam, pelas erradas expectativas e pelo longo desvio que suscitam das terapêuticas correctas.
E é neste panorama que se tem destacado o trabalho de Paula Teles.
Assente numa longa prática de apoio directo a muitíssimas destas crianças, em conformidade com os estudos mais autorizados sobre os mecanismos da dislexia, compreendeu e aceitou a responsabilidade de deixar sistematizado o seu método e permitir a sua utilização alargada.
O presente volume vem na continuidade deste trabalho solitário e generoso, de grande rigor e cuidado, mas também absolutamente original e único no panorama da língua e da pedagogia portuguesas.
Todas as pessoas que dele têm beneficiado são o melhor testemunho do seu valor.


CARTÕES FONOMÍMICOS E CD COM AS CANTILENAS DO ABECEDÁRIOISBN: 972-8905-10-6


Imagem dos cartoes em cor verde com imagens apelativas de animais e personagens usadas


Prefácio de Arlette Verhaeghe, Professora Associada da FPCE - UL


Hoje em dia, tornou-se trivial afirmar a importância da leitura e da escrita não só em termos individuais, pelas suas repercussões em diversas áreas de aprendizagem e pela oportunidade de alargar horizontes, como a nível da sociedade e do seu desenvolvimento. Menos trivial é o esforço realizado para permitir o sucesso na tarefa de ensinar a leitura e a escrita junto de um maior número possível de crianças.
O presente volume faz parte de um conjunto de livros em que Paula Teles apresenta o seu método - MÉTODO FONOMÍMICO Paula Teles - e disponibiliza materiais didácticos para um ensino eficaz da leitura. Trata-se de uma partilha de saberes e de ferramentas, dirigidos a professores, psicólogos, pais e todos os que se confrontam com a problemática das dificuldades nesta área de aprendizagem.
O interesse e o valor das actividades e exercícios elaborados pela autora assentam no estudo rigoroso dos dados relevantes da investigação psicolinguística, assim como na experiência alcançada pelo ensino de crianças que principiam a sua aprendizagem da leitura e, em especial, pelo acompanhamento de crianças para as quais as dificuldades manifestadas representam obstáculos dificilmente transponíveis sem uma intervenção pedagógica adequada.
... tem sido amplamente reconhecida a importância da escolha de um método de ensino da leitura que privilegia, na fase inicial de aprendizagem, o estudo sistemático e explícito do código escrito, não só para as crianças com um percurso normal de desenvolvimento, mas também, e sobretudo, para as crianças com dificuldades específicas nesta área de aprendizagem.
...é dada ênfase ao Princípio Alfabético tomando em conta o necessário desenvolvimento da Consciência Fonológica, e em particular da Consciência Silábica e Fonémica. O ensino das Correspondências entre Grafemas e Fonemas é reforçado recorrendo ao treino de Fusão Fonémica, operação fundamental da leitura.
Outro aspecto do treino que é importante realçar é a atenção dada à automatização. O treino intensivo de Leitura Sequencial de Sílabas visa o estabelecimento de uma descodificação rápida e automática das palavras escritas.
Actualmente é reconhecida a importância da automatização deste mecanismo de descodificação, porque permite libertar os recursos de atenção que podem assim ser orientados para os processos de tratamento sintáctico e semântico fundamentais para compreender o que é lido.
Contrariamente ao que por vezes se diz, um método de aprendizagem da leitura que, numa fase inicial, enfatiza competências ligadas à descodificação de palavras, não se desvia do objectivo principal da leitura que é a compreensão do texto escrito. Antes, cria as bases que vão permitir atingir este objectivo.
Um último aspecto que gostaria de salientar prende-se com o facto de que o treino sistematizado e persistente reforça a valorização do empenho da criança tornando visíveis os resultados do seu esforço. Não é assim descurada a motivação da criança no seu processo de aprendizagem o que lhe abre a possibilidade de tomar consciência, e de compreender, o seu papel activo na construção do seu conhecimento.
Pelas razões invocadas, é de louvar este contributo relevante, e significativo, no panorama das práticas educativas no domínio da aprendizagem da leitura e da escrita em Português Europeu.


Quais os seus objectivos?


• Os Livros de Leitura e Caliortografia foram elaborados na sequência e em complementaridade com os Cartões Fonomímicos, o CD com as Cantilenas do Abecedário e o Livro Abecedário - Silabário. Têm como objectivo ensinar a ler, a ortografar e a escrever.
• Os exercícios de leitura têm como objectivos:
• Ensinar a ler sequencialmente as diversas sílabas que formam as palavras, as Fusões Silábicas Sequenciais; treinar a leitura sistemática de palavras e de textos, até conseguir realizar uma leitura correcta, automática, fluente e compreensiva.
• Os exercícios de caliortografia têm dois objectivos distintos, mas complementares: ensinar a escrever sem erros ortográficos e realizar uma caligrafia legível.
• O conjunto destes livros faculta, aos professores e pais, materiais elaborados com os conhecimentos resultantes das recentes investigações teórico-práticas sobre este tema. A sua correcta utilização permite uma rápida melhoria da correcção e velocidade leitoras.
• O Livro de Leitura e Caliortografia 1 são apresentados os grafemas-fonemas com apenas uma correspondência fonológica, na forma de sílaba consoante-vogal, “CV”, vogal-consoante “VC” e consoante-vogal-consoante “CVC”.


A quem se destinam?


• Destinam-se a todas as crianças, com e sem dificuldades fonológicas ou de leitura, desde a fase de “leitores-ouvintes” até à fase de “leitores hábeis”, ou seja, até conseguirem atingir uma leitura correcta, fluente e compreensiva. Podem ser usados individualmente, ou em grupo, em Casa, no Jardim-de-infância ou na Escola.
• Em Casa e no Jardim-de-infância como actividade lúdica e de aprendizagem. São materiais educativos que optimizam o desenvolvimento da linguagem, da consciência fonológica e fonémica, do vocabulário, da memória auditiva, visual e cinestésica, do ritmo musical, do conhecimento do esquema corporal, da orientação espacial e da coordenação visuomotora. Estimulam a motivação e o prazer pela aprendizagem da leitura, iniciando a identificação das correspondências entre os fonemas da linguagem oral e os grafemas da linguagem escrita.
• Na Escola, para as crianças sem dificuldades, são materiais que estimulam e facilitam a aprendizagem da leitura e da escrita. Para as crianças com Défices Fonológicos são materiais apelativos que possibilitam a realização de uma intervenção reeducativa multissensorial e sistemática, motivadora e gratificante que conduz a uma evolução rápida e quantificável das competências fonológicas, da leitura e da escrita.


Comentário de PEDRO CABRAL - Neurologista pediátrico, CHLO


Não tem a ver com a falta de jeito para abrir embalagens ou com o problema de escrever em espelho. Não se resolve com lentes prismáticas ou correcções de postura.
A dislexia tem a ver com a linguagem escrita alfabética, uma invenção que surgiu há quatro mil anos e que nos obriga a aprender para conseguirmos passar do grafema ao fonema. Não basta apenas ouvir, como na linguagem falada.
Essa aprendizagem é difícil para 5 a 10 por cento de nós, por motivos ainda parcialmente desconhecidos e que dão voz aos atrevimentos da ignorância.
É contra isto, contra a confusão e as ideias feitas, que Paula Teles continua, sozinha, o seu trabalho, em que procura nas imagens da nossa fala as singularidades do acesso à palavra escrita.
Dá trabalho. Em cada aluno, é preciso perceber onde a dislexia se complica pelas dificuldades cognitivas ou emocionais que minam esse aprender. E no universo pedagógico e clínico, é necessário lutar contra a inércia que o desconhecimento destas coisas traz sempre consigo.
Os seus livros são a prova desta urgência em intervir - quanto mais cedo melhor! - e da necessidade de pôr mais gente a fazê-lo. Não basta ouvir!


ABECEDÁRIO E SILABÁRIO - ISBN: 972-8905-10-6


Imagem do Silabário


Quais os seus objectivos?


1. QUAIS OS SEUS OBJECTIVOS?
O Abecedário e Silabário tem os seguintes objectivos:
• Consolidar e automatizar os conteúdos ensinados nos Cartões Fonomímicos e Cantilenas do Abecedário;
• Ensinar a ler conjuntamente dois, ou mais, fonemas, ensinar a realizar a operação mental de Fusão Fonémica e treinar até conseguir a sua automatização.
• Ensinar a ler em sequência várias sílabas, a realizar as Fusões Silábicas Sequenciais competência necessária à leitura das palavras e textos apresentados nos Livros de Leitura e Caliortografia 1, 2 e 3.
• Deve ser utilizado paralela e interactivamente com os Cartões Fonomímicos e os Livros de Leitura e Caliortografia 1, 2 e 3 recorrendo a um, ou a outro, em função das competências que necessitam de ser aprendidas ou reforçadas.


A quem se destinam?


• Às crianças, sem quaisquer dificuldades, que estão a iniciar a aprendizagem da leitura e da escrita, estimulando e optimizando estas aprendizagens.
• Às crianças e jovens que revelam dificuldades na aprendizagem da leitura e da escrita e que necessitam de uma reeducação especializada.
• Podem ser usados na sala de aula e nas sessões de apoio educativo, independentemente do método de ensino e do livro de Língua Portuguesa adoptado.
• Podem ser usados em casa, como apoio e reforço das aprendizagens escolares.
• São materiais apelativos que facilitam uma reeducação multissensorial, sistemática e cumulativa que proporcionam um progresso significativo e quantificável das competências de leitura e de escrita.


LEITURA E CALIORTOGRAFIA 1 - ISBN: 978-972-9805-11-8


Imagem do livro 1


A quem se destinam?


• Às crianças que estão a iniciar a aprendizagem da leitura e escrita, estimulando e optimizando estas aprendizagens.
• Às crianças e jovens que revelam dificuldades na aprendizagem da leitura e escrita e que necessitam de uma reeducação especializada.
• Podem ser usados na sala de aula, ou nas sessões de apoio educativo, independentemente do método de ensino e do livro de Língua Portuguesa adoptado.
• Podem ser usados em casa, como apoio e reforço das aprendizagens escolares.
• São materiais apelativos que facilitam uma reeducação multissensorial, sistemática, sequencial e cumulativa que proporcionam um progresso quantificável das competências de leitura e de escrita.


Prefácio de José Morais - Professor da Université Libré de Bruxelles (ULB)


A maioria das crianças com dificuldades na aprendizagem da leitura, sejam ou não disléxicas, apresentam deficits em habilidades fonológicas, isto é na utilização das representações da fala e/ou da escrita que se referem a aspectos da forma abstracta da pronúncia das palavras.
Na leitura, a identificação das palavras escritas constitui justamente uma componente essencial do processo de compreensão, e, sem a intervenção de tais representações fonológicas, ela não se faz ou então, em muitos casos, faz-se de maneira pouco precisa...
...O MÉTODO FONOMÍMICO elaborado por Paula Teles insere-se na perspectiva fonológica das dificuldades de aprendizagem da leitura.
...Posso registar aqui a minha grande satisfação por ter encontrado no MÉTODO FONOMÍMICO ideias que me parecem justas e até incontornáveis como fundamento de um trabalho de reeducação eficaz da leitura com as crianças que apresentam deficits fonológicos.
...Partindo da letra, sinal gráfico elementar do alfabeto, a autora do MÉTODO FONOMÍMICO prepara a criança, de imediato, ao correctivo necessário que consiste em privilegiar a relação mais abstracta entre grafema e fonema. As variações físicas introduzidas na forma (e na cor) da letra, ou ainda por adição de diacrítico, constituem sinais das suas diferentes realizações segundo o contexto ou posição na palavra, o que abre o caminho à compreensão daquela relação abstracta. Tais variações, por exemplo a da cor da vogal associada, em diferentes sílabas, a uma consoante invariável, são também suporte para o trabalho analítico de análise da sílaba nos seus fonemas.
...Indispensável é também a ênfase atribuída à operação mental de fusão, primeiro de representações de fonemas para formar sílabas, depois das sílabas sucessivas para formar palavras... pronunciado “guê” e “a” não conduz a ler “ga” mas “gue-a”, qualquer que seja a rapidez da reunião. A sílaba não são fonemas adjacentes, ela resulta de uma operação de fusão ou integração que tem de ser descoberta pelo aprendiz de leitor com ajuda adequada por parte do professor ou reeducador.
...Outro aspecto muito interessante deste Método é a insistência na aprendizagem da ortografia correcta das palavras sendo estas tomadas como entidades isoladas, fora do contexto significativo. Esta escolha é coerente com muitos resultados de trabalhos experimentais recentes que mostram que a ortografia precisa da palavra é mais difícil de reter quando a atenção que lhe deve ser dedicada é desviada para conteúdos semânticos.
...Finalmente, a preocupação com a escrita manual cursiva e com a realização motora da escrita através da caligrafia associando esta à competência ortográfica é um aspecto do Método que pode parecer desusado e que, na realidade, não o é, visto que estudos recentes têm começado a mostrar o papel da actividade manual, grafomotora, do aprendiz na aprendizagem e na consolidação das representações ortográficas. O curioso neologismo de “Caliortografia”, utilizado por Paula Teles e associado a “Leitura” no título deste livro revela-se inteiramente pertinente se atentarmos nas relações e conexões que se estabelecem na mente da criança que aprende a ler e escrever.


LEITURA E CALIORTOGRAFIA 2 - ISBN: 978-972-8905-12-5


Imagem do livro 2


Prefácio de José Carlos Ferreira, Neurologista Pediátrico , CHLO


As crianças e jovens com dislexia estão habituados a dificuldades. Quase sempre experimentam o insucesso académico, pelo menos no início da escolaridade, quando a aprendizagem da leitura e escrita parece ser a tarefa mais importante da vida e se vêem a defraudar as expectativas dos professores, as dos pais e sobretudo as suas próprias.
É com perplexidade que tomam consciência da diferença em relação a colegas com o mesmo, ou menor, nível cognitivo.
...A escrita é uma criação muito recente na escala evolutiva e o cérebro humano tem de encontrar na sua estrutura, com 200 milénios, recursos para desempenhar uma tarefa que lhe não é inata, nem natural.
Numa pequena percentagem da população esses recursos não se desenvolvem com eficácia e o processo da leitura acaba por mobilizar áreas e circuitos cerebrais mais dispersos e inoperantes.
A estratégia adequada para ajudar estas pessoas a conseguir um desenvolvimento congruente com as suas capacidades inclui duas vertentes:
A primeira é minimizar o impacto que a inabilidade para ler e escrever tem nas outras áreas da aprendizagem...
A segunda vertente é o acompanhamento destas crianças. É um trabalho cheio de barreiras, incómodo e penoso.
... Muitas vezes apontam-se falsos atalhos e ilusórias soluções fáceis, quase risíveis se não fosse pelos prejuízos que causam, pelas erradas expectativas e pelo longo desvio que suscitam das terapêuticas correctas.
E é neste panorama que se tem destacado o trabalho de Paula Teles.
Assente numa longa prática de apoio directo a muitíssimas destas crianças, em conformidade com os estudos mais autorizados sobre os mecanismos da dislexia, compreendeu e aceitou a responsabilidade de deixar sistematizado o seu método e permitir a sua utilização alargada.
O presente volume vem na continuidade deste trabalho solitário e generoso, de grande rigor e cuidado, mas também absolutamente original e único no panorama da língua e da pedagogia portuguesas.
Todas as pessoas que dele têm beneficiado são o melhor testemunho do seu valor.


LEITURA E CALIORTOGRAFIA 3 - ISBN: 978-972-9805-13-2


Imagem do livro 3


Quais os seus objectivos?


• Os Livros de Leitura e Caliortografia foram elaborados na sequência e em complementaridade com os Cartões Fonomímicos, o CD com as Cantilenas do Abecedário e o Livro Abecedário - Silabário. Têm como objectivo ensinar a ler, a ortografar e a escrever.
• Os exercícios de leitura têm como objectivos:
• Ensinar a ler sequencialmente as diversas sílabas que formam as palavras, as Fusões Silábicas Sequenciais; treinar a leitura sistemática de palavras e de textos, até conseguir realizar uma leitura correcta, automática, fluente e compreensiva.
• Os exercícios de caliortografia têm dois objectivos distintos, mas complementares: ensinar a escrever sem erros ortográficos e realizar uma caligrafia legível.
• O conjunto destes livros faculta, aos professores e pais, materiais elaborados com os conhecimentos resultantes das recentes investigações teórico-práticas sobre este tema. A sua correcta utilização permite uma rápida melhoria da correcção e velocidade leitoras.
• No Livro de Leitura e Caliortografia 3 são apresentadas as diversas correspondências fonológicas do grafema “x”, as sílabas consoante-consoante-vogal “CCV”, as sílabas consoante-consoante-vogal-consoante “CCVC”, as sílabas consoante-consoante-vogal-consoante-consoante “CCVCC” e as sequências consonânticas.


Prefácio de Maria de São Luís Fonseca e Castro - Professora Associada da FPce - UP


A comunicação através da linguagem permeia o nosso quotidiano, ajuda-nos a dar-lhe forma... Como dizia George Miller, “a linguagem é como o ar que respiramos e serve um milhão de propósitos humanos”. Usando a fala, expressamos o presente, referimos o passado e projectamos o futuro.
...E tudo isto sem precisar de uma máquina externa da qual seríamos dependentes. A máquina da linguagem, chamemos-lhe assim, é interna; a parte responsável pela fala é atributo da espécie humana e desenvolve-se sem requerer cuidados especiais.
...O mesmo não acontece com a parte responsável pela escrita: nem todas as sociedades humanas conheceram a escrita, e ainda hoje o domínio da linguagem escrita está condicionado a uma aprendizagem bem sucedida em ambiente escolar.
...A importância da escrita na sociedade moderna, por um lado, e os avanços nos meios de investigar a actividade mental em relação com o funcionamento do cérebro, por outro, contribuíram para que nas últimas décadas tenha havido um extraordinário progresso no conhecimento científico sobre a leitura.
...Progresso suficiente para que vários cientistas advoguem que o conhecimento adquirido é suficientemente sólido para que possa ser aplicado no ensino da leitura e no tratamento das respectivas dificuldades de aprendizagem.
Entre nós, Paula Teles respondeu positivamente a esta interpelação. O que não é fácil, pois há uma grande distância entre as condições controladas da investigação científica e a diversidade de histórias individuais e de circunstâncias particulares na relação entre professor - aluno.
...Conjugando a sua dupla experiência de professora e de psicóloga com um conhecimento científico actualizado sobre leitura e uma fina sensibilidade para com a criança e a sua vivência, Paula Teles lançou mãos à obra e criou o MÉTODO FONOMÍMICO.
...Os princípios em que se baseia o método vão ao encontro do que a investigação científica sobre aprendizagem da leitura e escrita tem revelado ser relevante: o carácter progressivo e gradual das aprendizagens (que assim se vão acumulando com base em sucessos anteriores), a explicitação do código ortográfico e a utilização da palavra para o treino nesse código, a íntima combinação entre o acto de ler e o acto de escrever, e o cuidado posto na realização motora da escrita.
...Tudo isto num contexto de prática deliberada em que, sem a confundir com a aprendizagem específica do mecanismo de leitura e de escrita, a dimensão significativa da linguagem é também incorporada.


CADERNO DE CALIORTOGRAFIA E VOCABULÁRIO CACOGRÁFICO - ISBN: 978-972-9805-16-3


Imagem do caderno


Quais os seus objectivos?


O Caderno de Caliortografia e Vocabulário Cacográfico tem como objectivo ensinar e automatizar a caligrafia e a ortografia no quadro de uma intervenção cognitivista e fonológica.
Diversos estudos têm comprovado que uma caligrafia incorrecta, de difícil descodificação, contribui para a manutenção dos erros ortográficos, pelo que a caligrafia e a ortografia são trabalhadas simultaneamente.
A caligrafia irregular, por vezes ilegível, ao dificultar a identificação dos erros ortográficos, impede a sua correcção contribuindo, deste modo, para a manutenção do erro. A repetição sistemática de ortografias incorrectas vai induzir a memorização de padrões ortográficos incorrectos e, consequentemente, perpetuar os erros.
O Caderno de Caliortografia e Vocabulário Cacográfico inclui dois tipos de exercícios:
• Exercícios de Caliortografia das palavras e/ou dos textos apresentados nos Livros de Caliortografia 1, 2 e 3.
• Vocabulário Cacográfico - elaboração de uma lista das palavras em que foram cometidos erros. Aprendizagem de estratégias metacognitivas de correcção dos erros.



[fim da página]